E agora, Maria?


* "Lonely Maria", de Amilkar Ariza

E agora, Maria?
O gás acabou
o feijão já secou
o romance terminou
os vizinhos se foram
a noite chegou
os filhos têm fome.
E agora, Maria?
Está sem João
está sem pão
está sem carinho
não pode ler
não sabe escrever
a noite esfriou
o dia não chegou
a juda não veio
a fé terminou
e tudo acabou.
Maria, e agora?

Se você pudesse
se você chamasse
se você gritasse
se você chorasse
se você sumisse...
Nada disso faria
não é, forte Maria?
Ainda há brilho no olhar
altivez no seu rosto
há forças nas mãos
sentimentos no coração.

Levante, Maria,
ajeite o cabelo
saia da toca
saia do escuro
saia para a vida
saia para a rua.
Recomece, Maria,
o mundo é grande
há vida lá fora
a esperança está a espera...
Há muito João,
Joaquim e José
precisando de uma Maria.
Vá, agora, Maria!

Giulia Dummont


(Paráfrase de José, de Carlos Drummond de Andrade)

4 comentários:

nydia bonetti disse...

Que beleza, Giulia. Simplesmente perfeito."Há vida lá fora". Preciso me lembrar disto...
Beijooo

Márcia(clarinha) disse...

Feliz dia grande Mulher!

Há esperança para as Marias, ainda bem...

lindo dia doce Giulia
beijos

Rogério disse...

Drummond sabia ser sutil quando necessário. A exemplo da famosa "Pedra no Caminho", o poema "José" remete à situação de opressão por que passava o povo brasileiro nos tristes tempos da ditadura. Você utilizou essa mesma opressão (ainda que, hoje, disfarçada) para lembrar que a mulher ainda não é tratada com a devida dignidade. Destaque para seu otimismo, por ter deixado nas entrelinhas a perspectiva de dias melhores. Como sempre, gostei muito. Beijos.

eitasarau disse...

Giulia, há muito te leio... já tentei contato mas não recebo resposta sua... não resisti e publiquei este no blog do Eita! achei perfeito para o tema do mês Teatro nosso de cada dia... vai lá ver... www.eitasarau.wordpress.com
Caso você queira que eu retire a publicação é só me avisar... um abraço da Marise